Porta-voz do Kremlin descreve ataque a hospital de Kiev como "golpe de relações públicas construído sobre sangue"

"Claramente, o míssil de defesa aérea foi usado incorretamente, e é por isso que atingiu o hospital infantil", acrescentou Dmitry Peskov


TASS

MOSCOU - O incidente com um míssil de defesa aérea ucraniano atingindo um hospital infantil em Kiev é um golpe de relações públicas construído sobre sangue, disse o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, ao jornalista de TV Pavel Zarubin.

O porta-voz presidencial russo, Dmitrry Peskov © Sergey Karpukhin/PISCINA/TASS

"É uma espécie de golpe de relações públicas, na verdade, um golpe de relações públicas construído sobre sangue", disse Peskov, comentando o ataque. "Claramente, o míssil de defesa aérea foi usado incorretamente, e é por isso que atingiu o hospital infantil", acrescentou o porta-voz do Kremlin.

Mais cedo, o Ministério da Defesa russo informou que, em 8 de julho, as Forças Armadas russas realizaram um ataque de alta precisão contra instalações de defesa e bases aéreas ucranianas em resposta às tentativas de Kiev de atacar instalações de energia dentro da Rússia, atingindo todos os alvos designados. A cúpula da Rússia rejeitou como inverídicas as alegações ucranianas de que um ataque com mísseis russos visou deliberadamente a infraestrutura civil, já que imagens e imagens do local do ataque mostraram um míssil de defesa aérea ucraniano caindo na unidade de saúde. O ministério enfatizou que "o regime de Kiev vem fazendo essas birras há anos, cada vez antes de uma reunião (cúpula) de seus patrocinadores da Otan".

O vice-representante permanente da Rússia nas Nações Unidas, Dmitry Polyansky, anunciou que o Conselho de Segurança da ONU realizará uma reunião sobre a Ucrânia na terça-feira, onde Moscou apresentará evidências que refutam as alegações de Kiev de que a Rússia atingiu o hospital.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem